Como tratar a celulite sem cair em furadas

Compartilhe este texto:

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Vira e mexe aparece um novo tratamento contra a celulite. Mas como escolher as melhores opções? Aquela novidade é para o meu caso? A seguir contamos tudo o que você precisa saber para recuperar a textura da sua pele:

A celulite

Popular e democrática que só, a celulite dá as caras, segundo estimativas, em nada menos que 95% das mulheres. Não é à toa que a indústria cosmética investe pesado em tratamentos para amenizar o aspecto de casca de laranja que pode estampar regiões como coxas, bumbum e companhia. São princípios ativos para cremes, injeções aplicadas em consultório médico, aparelhos que emitem ondas usados em clínicas de estética, e por aí vai.

No último congresso da Academia Americana de Dermatologia, uma das sensações foi uma fórmula testada com sucesso em quadros moderados e severos: as aplicações de uma enzima chamada Clostridium histolyticum collagenase.

Há todo um caminho que novos produtos ou tecnologias têm de percorrer dos laboratórios até o mercado. E, embora a promessa das novidades seja quase sempre tentadora, os especialistas deixam claro que nenhum tratamento faz o trabalho sozinho. Isso porque existem vários fatores por trás da celulite.

Como acontece?

A celulite é causada por acúmulo de gordura, prejuízo na drenagem linfática e deterioração do colágeno que sustenta o tecido gorduroso.

Por isso, eliminar ou minimizar os furinhos costuma depender de ações em todas essas frentes. Não adianta, por exemplo, utilizar um aparelho que ajuda a remover a gordura sem tratar a pele em si. Se isso não for feito, haverá flacidez depois.

Mesmo quem torce o nariz para as novidades da indústria e prefere uma solução mais natural deve ter cautela. Os experts alertam que receitas caseiras quase nunca são eficazes e ainda podem render irritações à pele.

Mudança de hábitos

O ponto é que não adianta investir no creme mais moderno ou na última tecnologia de ponta se você não fizer sua parte mudando alguns hábitos. Isso envolve evitar o ganho de peso, se exercitar regularmente, tomar bastante água, comer fibras, evitar o cigarro e não exagerar na bebida alcoólica.

E ainda tem a questão hormonal, que em alguns casos precisa ser investigada com o médico, já que os hormônios influenciam bastante no aparecimento da celulite.

Fazendo esses ajustes na rotina, aí, sim, dá para lançar mão dos tratamentos desenhados para melhorar o aspecto da pele. 

Os tratamentos

Equipamentos com diferentes tecnologias tratam o problema — eles podem ser utilizados sozinhos ou combinados

Radiofrequência: trata-se de uma máquina que produz um calor intenso, capaz de penetrar profundamente na pele, levando à ruptura das membranas das células de gordura e estimulando a remodelação do colágeno. Assim, melhora a flacidez e a textura da pele e ainda ajuda a redefinir o contorno corporal.

Além disso, ela estimula a fabricação de novas fibras de sustentação — por isso é possível notar novos resultados até seis meses depois da aplicação.

Vacuoterapia: também conhecida como endermologia, a técnica se vale de um aparelho que promove o tratamento da celulite com a ajuda de ventosas que sugam a pele, promovendo uma massagem que mobiliza o tecido cutâneo profundamente.

Com isso, realinha a produção das fibras de sustentação da pele, além de instigar um processo de drenagem linfática — é nos vasos linfáticos que são recolhidas impurezas e toxinas relacionadas a inchaço e inflamação da pele. Quanto menos tempo ficam no corpo, melhor.

Ultrassom: outro aparelho famoso nas clínicas de estética, ele exerce efeitos térmicos e mecânicos que podem diminuir a gordura localizada e a flacidez.

Isso acontece porque a carga de energia da máquina penetra até a hipoderme, a camada onde se concentram as células de gordura, e provoca a sua ruptura sem danificar as outras estruturas, como os vasos e os tecidos próximos. Além disso, a máquina melhora a oxigenação da pele — um trunfo contra a celulite.

Injeção de enzimas: são introduzidas por meio de injeções na área atingida pelo problema, substâncias que combatem a gordura localizada, estimulam a circulação local e, assim, dispersam a retenção de líquido.

A quantidade de sessões dessa técnica, que também é conhecida como mesoterapia, e o intervalo entre elas são determinados pelo profissional depois de uma análise individualizada.

Bioestimuladores de colágeno: são moléculas também injetáveis — caso do ácido L-poliláctico e da hidroxiapatita de cálcio — que tornam a pele mais rígida. Isso é importante porque o tecido de gordura é flácido e necessita que as fibras de sustentação da pele estejam bem firmes para que ele tenha um bom suporte e não fique com o aspecto irregular, característico da celulite.

Não perca mais tempo!

Aqui na Clínica Jardins, nosso time de medicina estética está pronto para auxiliar você na escolha da melhor combinação de tratamentos, para deixar você de bem com o seu corpo.

Agende já a sua degustação gratuita!

Compartilhe este texto

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Tem alguma dúvida? Nós estamos aqui para te ajudar:

Artigos Relacionados

Ícone de Localização
Avenida Paulista, 807, conj. 55 Bela Vista – São Paulo

Ver endereço completo

Receba novidades e dicas sobre estética e saúde.

Copyright © 2019 Jardins Clínica

Solicite nosso contato e tiraremos todas as suas dúvidas




Qual sua área de interesse?


Método de contato preferido:

EmailTelefoneWhatsapp