Beleza renovada: descubra qual o peeling ideal para tratar a sua pele

Compartilhe este texto:

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Beleza renovada: descubra qual o peeling ideal para tratar a sua pele

Você sabia que o peeling pode ser químico, físico, de cristal, diamante e mais uma infinidade de possibilidades? Cada técnica é mais indicada para um problema e / ou tipo de pele diferente. Venha conhecer mais sobre estes tratamento que garantem uma pele renovada e mais radiante!

O que é peeling?

Realizar um peeling na pele nada mais é que descamá-la com o objetivo de retirar as células envelhecidas e mortas, que já sofreram a ação do tempo e não estão mais trabalhando como deveriam. o peeling – cujo nome vem do termo em inglês, que significa “descascar” – é um procedimento que possui uma série de funções na rotina dermatológica, como: renovar a pele, melhorar a textura, fechar os poros, tratar hiperpigmentações, melasma, acne, estrias, cicatrizes de acne, envelhecimento, e até campo cancerizável com lesões crônicas causadas pelo sol.

Quais as indicações e vantagens?

O tratamento é eficaz para remover manchas, cicatrizes da acne e combater a oleosidade excessiva. Há também os peelings que estimulam a produção de colágeno, sendo os mais indicados para tratar rugas superficiais e flacidez. O procedimento é realizado principalmente no rosto – mas colo, pescoço e mãos também podem ser submetidos ao tratamento. A principal vantagem da técnica está na melhora da aparência da pele, que ganha viço e brilho. 

Os efeitos dependem do objetivo buscado, pois dependendo dos ácidos e outras substâncias utilizadas, a abrasão pode ser superficial, média ou profunda. 

Qual profissional pode realizar o peeling?

Antes de fazer o procedimento, é fundamental realizar uma avaliação dermatológica para esclarecer a indicação ideal para o seu caso – essa análise ajuda a otimizar os resultados e evita complicações durante e após a técnica. Peelings realizados inadvertidamente podem causar irritações, alergias, manchas, bolhas, feridas, reativação de herpes e até queimaduras. O tratamento pode ser realizado por dermatologista, fisioterapeuta dermatofuncional ou cirurgião plástico.

Quais os tipos de peeling e como cada um funciona?

Peelings físicos (cristal, diamante, ultrassom ou microdermabrasão): considerados mais superficiais. Possuem efeito de esfoliação, que favorece a renovação da pele e aumenta a penetração de ativos. Pode ser usado de forma isolada ou combinada com peelings químicos. Indicado para tratamento de cravos no rosto e estrias.

Peelings químicos: podem ser muito superficiais, superficiais, médios e profundos. Entre os ativos mais comuns, estão o ácido retinóico, ácido salicílico, tricloroacético, solução de jessner, ácido glicólico, 5-fluoracil e o peeling de fenol.

Confira a seguir qual é o peeling mais recomendado para o seu problema de pele:

Pele oleosa

A melhor opção para peles oleosas é o peeling químico à base de ácido salicílico. Essa substância é especialmente eficaz na regulação da produção de oleosidade pelas glândulas sebáceas da pele. O ácido salicílico também é muito utilizado pela sua ação queratolítica, ou seja, ele promove afinamento da pele, aliviando cicatrizes e rugosidades. O peeling com ácido salicílico gera ardor leve na aplicação, mas é bastante seguro para qualquer tipo de pele. 

Pele com cravos

O ácido retinoico (também chamado de tretinoína ou de vitamina A ácida) é considerado padrão ouro no tratamento da acne grau 1, que apresenta-se como cravos inflamados. O peeling com ácido retinoico é praticamente indolor e tem ótima aceitabilidade pelos pacientes. Ele pode ser combinado com peelings físicos, como o peeling de cristal e o peeling de diamante, para que seus efeitos sejam otimizados.

Após o tratamento, recomenda-se evitar exposição excessiva ao sol. 

Pele com acne

A solução de jessner associa ácido salicílico, ácido lático e resorcina, sendo ideal para a maioria dos casos de acne. O ácido salicílico ajudará no controle da oleosidade, além de ter ação queratolítica, afinando a pele e amenizando a aparência da acne; a resorcina é um eficiente anti séptico, ou seja, impede a proliferação das bactérias na pele; o ácido lático, por sua vez, ajuda na esfoliação da pele. 

Esse tipo de peeling é considerado superficial, ou seja, remove apenas a epiderme, camada mais externa da pele, portanto os cuidados são mais simples. A indicação é evitar exposição solar e usar filtro solar com FPS mínimo de 30 e preferencialmente físico, que penetra menos na pele, reduzindo as chances de irritação e ardor.

Pele com cicatrizes de acne

O peeling químico também pode ajudar a amenizar cicatrizes de acne, mas nesse caso os efeitos devem ser mais profundos, uma vez que as cicatrizes da acne são também mais profundas, originadas na derme, a segunda camada da pele. Nesse caso, a indicação costuma ser o peeling com ácido tricloroacético 30% ou com fenol (fórmula de Baker). 

Nesse caso, a recuperação envolve  ficar de três a sete dias em casa, pois a pele fica muito sensível. Durante esse período devem ser usados produtos cicatrizantes recomendados pelo médico e protetor solar físico, que, por reagir menos com a pele, tem menos chances de causar irritação ou ardor.

Pele ressecada

Uma boa opção para quem tem pele ressecada e precisa de hidratação é associar um peeling físico, como o peeling de cristal ou diamante, à aplicação de cosmético com ácido hialurônico, que tem efeito hidratante. A remoção da camada superficial da pele permite que ele aja ainda mais profundamente na pele, otimizando os resultados.

O tratamento com ácido hialurônico deve ser acompanhado de proteção solar com FPS mínimo de 30 com reaplicação de duas em duas horas.

Pele com manchas

No caso das manchas de pele mais profundas, chamadas de melasmas, existem opções que podem ser mais eficientes que o peeling, como o laser ou o uso diário de ácidos clareadores, por exemplo. Mas para as sardas e melanoses, manchas localizadas na camada mais superficial da pele, o peeling físico é uma boa opção. O ideal é que o peeling de diamante ou de cristal remova toda a epiderme, chegando até a derme superficial, clareando estas manchas.

Pele com rugas

As rugas finas são marcas mais profundas e por isso têm um benefício discreto com o uso do peeling. O benefício ocorre principalmente quando, junto ao peeling, é feito uso de cosméticos que agem suavizando as linhas de expressão, como o retinol e as vitaminas A e C.

Pele com flacidez

A esfoliação promovida pelo peeling estimula a produção de colágeno e elastina, as principais proteínas responsáveis por dar forma, estrutura e sustentação à pele. Logo após um peeling físico leve, como o peeling de diamante, a pele fica mais viçosa e firme. É importante diferenciar a flacidez da pele da flacidez muscular, caso em que o peeling não trará qualquer benefício. 

Aqui na Clínica Jardins você pode contar com uma equipe de esteticistas e especialistas pós-graduados, garantindo qualidade e segurança para atingir os resultados que você procura.

Especialidades Relacionadas

Compartilhe este texto

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Tem alguma dúvida? Nós estamos aqui para te ajudar:

Artigos Relacionados

Ícone de Localização
Avenida Paulista, 807, conj. 55 Bela Vista – São Paulo

Ver endereço completo

Receba novidades e dicas sobre estética e saúde.

Copyright © 2019 Jardins Clínica

Solicite nosso contato e tiraremos todas as suas dúvidas




Qual sua área de interesse?


Método de contato preferido:

EmailTelefoneWhatsapp